spot_img
segunda-feira, outubro 25, 2021
spot_img

Homem cego tem a visão parcialmente restaurada por novo tratamento após 40 anos

Mais ou Menos
- Publicidade -spot_img
spot_img

Um homem cego teve sua visão parcialmente restaurada usando terapia optogenética e óculos especiais – o primeiro caso de sucesso deste tipo de terapia em humanos.

Pesquisadores fizeram um tratamento com um homem de 58 anos que sofre há 40 anos de retinite pigmentosa – uma doença neurodegenerativa que atinge os olhos e causa a perda de fotorreceptores, possivelmente levando à cegueira completa.

A retinite pigmentosa muda a forma como a retina responde à luz. Pessoas com essa condição perdem a visão lentamente ao longo do tempo, de acordo com a Academia Americana de Oftalmologia.

Os cientistas usaram uma forma de terapia genética para reprogramar células na retina, injetando um vetor viral e tornando-o fotossensível. “Na terapia optogenética…criamos uma camada fotossensível artificial sobre a retina cega”, disse o pesquisador Botond Roska, professor na faculdade de ciência da Universidade de Basel, em uma coletiva de imprensa.

Meses depois da injeção, pesquisadores equiparam os pacientes com óculos especiais que detectam mudanças na intensidade da luz e projetam pulsos de luz correspondentes nos olhos para ativar as células tratadas.

Apesar de o paciente não conseguir reconhecer rostos ou ler após o tratamento, ele foi capaz de perceber, localizar, contar e tocar objetos usando somente os olhos enquanto usava o óculos, disseram os pesquisadores em um estudo publicado na segunda-feira (24) no periódico Nature Medicine.

Antes do tratamento, o paciente não conseguia ver nada ainda que usasse os óculos. Mas meses após a injeção, o homem podia ver as linhas brancas de faixas de pedestres, detectar objetos como pratos, canecas e celulares, e identificar a mobília em uma sala ou uma porta em um corredor com eles.

“Inicialmente o paciente não conseguia ver nada com o sistema, e obviamente isso deve ter sido frustrante. E então, espontaneamente, ele começou a ficar muito animado, relatando que conseguia ver linhas brancas nas ruas”, afirmou José-Alain Sahel, professor de oftalmologia na Escola de Medicina na Universidade de Pittsburgh e no Instituto de Visão em Paris, na coletiva.

Cientistas também identificaram que o comportamento visual é compatível com a atividade cerebral registrada. Ele foi o primeiro paciente no primeiro coorte do estudo que conseguiu ser treinado antes da eclosão da pandemia da Covid-19, que interrompeu o estudo temporariamente.

Fonte: CNN

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias

Suspeito de estuprar e engravidar enteada de 10 anos é preso em Manaus

Uma operação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) prendeu um homem de 50 anos,...

Três mil ingressos do jogo do Brasil serão sorteados entre pessoas que tomaram a vacina contra a Covid no AM

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou nesta terça-feira (5) que vai sortear 3 mil ingressos para o jogo...
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img